Procon Vitória divulga pesquisa de preços de produtos de primeira necessidade

O Procon Vitória liberou nesta segunda-feira (2) a mais nova pesquisa comparativa de preços de produtos de primeira necessidade. Para isso, usou como parâmetro os valores encontrados nos levantamentos anteriores.

A pesquisa mostra que alguns itens tiveram uma redução no preço de mais de 70%, como foi o caso do tomate, que em julho era encontrado por R$ 6,29 (quilo) e, agora, é vendido por R$ 1,29 (quilo).

Mas foram registrados aumentos também. O preço da banana da terra bateu a casa dos 100%. Em julho, era comercializada por R$ 2,99 e, agora, é vendida por R$ 5,98. Veja comparação.

Pesquisa

A pesquisa levantou o preço de 56 itens em oito estabelecimentos de diferentes regiões de Vitória. A coleta de preços foi realizada nos dias 26 e 27 de agosto. Os dados são divulgados até o quinto dia útil do mês de cada mês subsequente.

A equipe de coleta de dados do Procon Vitória fez o levantamento de 14 itens no segmento de alimentação; dois no segmento de carnes e aves; cinco de padaria; dois no segmento de refrigerantes; 12 produtos no setor de frutas e verduras; oito de higiene pessoal; sete artigos de limpeza doméstica e outro seis de higiene e cuidados infantis.

Relatório técnico da pesquisa

Dos 56 itens da lista, um estabelecimento possui a maior quantidade de produtos com menor preço: 14. Veja o ranking.

Compras

A gerente do Procon Vitória, Herica Correa Souza, disse que a proposta é contribuir para que o consumidor vá às compras com uma noção do quanto vai gastar para suprir suas necessidades básicas.

“Consultando a pesquisa, fica mais fácil negociar com os fornecedores ou estabelecer uma estratégia de compra, optando pelos estabelecimentos que estão oferecendo os melhores preços ou a maior quantidade de itens com menor valor”, orientou.

Educação

Hérica disse que as pesquisas têm o papel de educar os consumidores para uma economia doméstica e comportamental. “É preciso adotar novas posturas diante do mercado. Pesquisar sempre, negociar sempre e ir atrás do melhor preço para adquirir a maior quantidade de itens de necessidade da família, mas evitando o desequilíbrio financeiro e o superendividamento da família”.

Na opinião do secretário de Cidadania, Direitos Humanos e Trabalho, Bruno Toledo, a pesquisa é mais um instrumento consolidado nas mãos dos consumidores. “É algo extremamente vital nos dias de hoje, para que o consumidor retome seu poder de compra. Além de ser um primeiro passo para que o consumidor passe a se comportar de maneira mais consciente, sustentável e responsável diante da oferta de produtos neste e em outros segmentos”.

Você, consumidor, o que achou da nossa pesquisa?